jusbrasil.com.br
23 de Janeiro de 2019

Vitória do povo!

Arthur Nóbrega Gadelha, Advogado
há 3 meses

Perdeu a arrogância, que julga o próximo de analfabeto político, mesmo que seja repetindo um mantra, sem nunca ter se alfabetizado politicamente, em um país onde a enorme maioria não lê 1 livro por ano, por falta de acesso à informação, educação. São elitizados egoístas e pseudo-intelectuais que desconhecem o povo e sua necessidade, mas fazem suas “revolution” no que há de mais confortável e que lhes garanta o “status quo”.

Perdeu a prepotência, que trata o povo, principalmente o excluído, como objeto de barganha política e alvo de estelionato eleitoral massificado. Peixe que se pesca jogando anzol com isca artificial só tem no mar e não na urna.

Perdeu a mentira, pois só com ela mesmo para (tentativa de) manutenção do objeto de poder tão desejado. Demorou, mas o povo percebeu... só quem ainda talvez não tenha percebido são os que hoje gritam esquizofrenicamente “resistência” sem nem saber o que seja resistir, sempre que relativizam a corrupção, a péssima prestação nos hospitais e na segurança públicas e o aparelhamento das universidades.

Perdeu a hipocrisia, componente indispensável de todo mal governo e seus nefastos seguidores. São falsos democratas que desrespeitam o pluralismo, o diferente, e se encaixam na parte da música que diz “é que Narciso acha feio o que não é espelho”. Se não for exatamente como eles, não presta! E sempre que perdem, se socorrem da frase de Darci Ribeiro que diz “eu detestaria estar no lugar de quem me venceu”, sem nunca terem lido algo dele, é claro.

Perdeu a elite, aquela conhecida. Aquela que sempre age em relação de subordinação e dependência. Aquela cujo rol de escândalos de toda sorte são tão extensos quanto às necessidades de seu povo.

Ganhou o povo! Alternância de poder não se confunde com alternância de governante. Mudamos COMPLETAMENTE!

A derrota e a vitória nem sempre são diametralmente opostas. Derrotar um esquema terrível e fortíssimo de poder, um sistema corrupto e corruptor, o “establishment”, é só para quem representa um sentimento.

A grande mídia fez seu papel em vão. A manipulação serviu ao seu Senhor, mas esqueceram de combinar com o povo e o sentimento de mudança.

Ao povo brasileiro, a esperança da mudança não deve se confundir com conformismo. Fiscalizemos sempre.

Aos derrotados, aquele abraço.

ARTHUR NÓBREGA GADELHA, Advogado.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Ganhou o Ministério da Verdade do zap zap. continuar lendo